SOBRE

RENÉ AGOSTINHO

Série Irmandade Ana Julia, 2020 Aquarela e colagem sobre papel Canson 300 g 42 x 59,4 cm

Série Irmandade Pedro Aquarela e colagem sobre papel Canson 300 g 42 x 59,4 cm

Série Irmandade Maria Julia Aquarela e colagem sobre papel Canson 300 g 42 x 59,4 cm

Série “Cavae Scutum”, VII Acrílico sobre tela 50 X 40 cm (sem moldura)

Ego libelum de solitudnem ac vanitatum Aquarela sobre papel Canson de algodão 300 g 150 x 100 cm

Defluximus Aquarela e Acrílica sobre papel Canson Archs 400 g 70 x 60 cm

Defluximus II Acrílica sobre tela 50 x 40 cm

Cavae Scutum VI Acrílica sobre papel Canson 300g preparado com gesso acrílico 59,4 X 42 cm

Cavae Scutum IX Aquarela sobre papel Canson de algodão 300 g 40 x 30 cm

Cavae Scutum VIII Aquarela sobre papel Canson de algodão 300 g 40 x 30 cm

Carpe Noctem Aquarela sobre papel Canson de algodão 300 g 30 x 20 cm

René é um artista visual luso-brasileiro, que vive em São Paulo, Brasil. Sua área de pesquisa é sobre a raça humana da perspectiva etológica, ou seja, do seu comportamento e organização social do ponto de vista biológico. Ele expressa sua preocupação com a falta de compreensão da humanidade, enquanto espécie dominante,  sobre seu papel fundamental para o futuro do mundo e de si mesma. Sua arte apresenta uma narrativa densa, repleta de arquétipos comuns que despertam a sensação de um lugar familiar, mas perturbador.

 

René nasceu em 1962, em São Paulo, Brasil. A arte floresceu na infância e sua formação artística formal ocorreu durante a adolescência e início da vida adulta. René completou sua formação técnica com cursos de filosofia, animação, criação de roteiros etc.. Seu estilo singular se desenvolveu durante anos e está em constante evolução. Trata-se de um amálgama de diferentes influências passando por nomes consagrados dos grandes mestres renascentistas, da arte moderna, quadrinhos, pop art, cinema, fotografia e tudo o que sua mente inquieta absorver.

 
"Minha arte não é sobre mim, mas sobre nós, a espécie humana. Não acho que sejamos seres especiais no universo, mas talvez um dos mais idiotas, pois apesar de todo conhecimento e habilidades,  matamos outras espécies por prazer , promovemos guerras matando uns aos outros e destruímos o planeta onde vivemos. Tento oferecer esse olhar para romper o entorpecimento da realidade comum em que vivemos."

- René Agostinho